vozes da cidade

vozes da cidade

espaços públicos, como superfície, que guardam ali experiências de um tempo passado presente que se tornam suporte para expressão ou exposição do habitante também como forma de ocupação da cidade através da tipografia que nos reflete emoções dissolvidas das tramas urbanas.

parte do coro das vozes da cidade que se escreve.
faz parte da vibração do corpo da cidade.
inspira e expira. sopro. pneuma. – naRua: pós-grafite, moda e vestígios.

"texturas são abrigos da experiência"

as manifestações estéticas em espaços públicos são brechas para o habitante
anônimo se expor, registrar sua presença, projetar subjetividades. projetar e construir.
(pontes, 2007, na rua: pós-grafite, moda e vestígios, p 20)

imagens bruno mercadante

"superfície como comunicação"

as superfícies estabelecem um modo de comunicação que envolve a percepção dos sentidos, não só por meio do sentindo de raciocínio lógico e conceito, mas também por tudo que representa a comunicação das sensações.
(freitas, 2011, design de superfície. as ações comunicacionais táteis nos processos de criação. p 13)